quinta-feira, 22 de setembro de 2016

Como vencer um pecado que parece mais forte do que eu?



Como vencer um pecado que parece mais forte do que eu?



Você Pergunta: Nos últimos meses tenho sentido minha vida totalmente fora de controle. Tenho tido alguns desejos errados que tem tomado conta da minha vida. Por mais que tenho lutado contra esses pecados, eles me vencem todos os dias. Parece algo maior do que eu! Não sei mais o que fazer, estou ficando louco com tanta pressão. Será que esse tipo de desejo não pode ser vencido? Às vezes penso que nunca vou conseguir resolver esse meu problema. Ajude-me! Como posso controlar esse pecado se ele parece mais forte do que eu? Como vencer um pecado desse tipo?

Caro leitor, creio que a sua situação é a mesma situação que todos nós seres humano passamos. Todos nós somos tentados pelos nossos maus desejos que buscam nos levar para a prática do pecado e para longe de Deus. Isso é fato. Até mesmo o grande apóstolo Paulo chegou a fazer uma observação interessante sobre esse assunto: “Porque não faço o bem que prefiro, mas o mal que não quero, esse faço” (Romanos 7:19). Mas isso não quer dizer que não tenhamos condições de vencer os maus desejos e o pecado. Temos sim essa condição. Vamos avaliar o que a Bíblia diz sobre isto:

(1) A primeira coisa a observarmos é que nenhum desejo ou pecado é incontrolável, a menos que permitamos que ele seja. A Bíblia nos ensina que as tentações são limitadas por Deus para que as possamos vencer: “Não vos sobreveio tentação que não fosse humana; mas Deus é fiel e não permitirá que sejais tentados além das vossas forças…” (1 Coríntios 10:13). Um desejo só pode ser mais forte do que as nossas forças quando nós mesmos damos esse poder a ele. Assim, devemos nos posicionar com uma postura firme contra o pecado que nos assedia.

(2) Isso significa que os desejos nos vencem quando estamos fracos ou quando olhamos para nós mesmos nos achando fracos. Eles nos vencem quando damos esse poder a ele. Mas como damos esse poder de vitória aos desejos errados? Tiago nos mostra isso de forma clara em sua carta: “Ao contrário, cada um é tentado pela sua própria cobiça, quando esta o atrai e seduz. Então, a cobiça, depois de haver concebido, dá à luz o pecado; e o pecado, uma vez consumado, gera a morte” (Tiago 1:14). Permitimos ser atraídos e seduzidos pelos desejos errados. E uma vez seduzidos estamos nas mãos deles e eles promovem a sua destruição em nossa vida. Isso significa que devemos nos posicionar e dizer não logo quando sentimos que estamos cobiçando algo que é errado. Para vencer um pecado que parece maior do que nós precisamos ser firmes.

(3) Isso nos indica que para controlarmos os maus desejos devemos barrá-los logo no início, quando eles são mais fracos, quando estão tentando nos seduzir.  Essa, porém, não é uma tarefa fácil, pois desejamos (e gostamos) de fazer aquilo que está nos seduzindo. Cobiçamos aquilo. Geralmente os maus desejos nos dão certo prazer, e isso nos atrai. O segredo para a vitória está em sermos racionais, em trazermos à nossa mente aquilo que aprendemos na palavra de Deus e dizermos não. Paulo emprega uma linguagem que acho interessante quando orienta: “Fugi da impureza….” (1 Coríntios 6:18). Essa é uma excelente forma de enfrentar os maus desejos: fugir deles. Mas fugir para onde, se muitas vezes eles estão dentro de nós?

(4) Fugir para a presença de Deus! Os maus desejos são destruídos na presença de Deus. Quando fugimos deles e comparecemos em oração aos pés do Senhor, quando clamamos ao Pai, quando reconhecemos perante Ele a nossa pequenez, quando dizemos não ao pecado mesmo querendo praticá-lo, quando até choramos de desespero buscando forças em Deus, etc. Essas são formas de fugir e vencer os maus desejos que querem nos controlar. Não é tarefa fácil, mas é tarefa possível a cada um de nós. Basta gerarmos em nosso coração esse desejo de vencer e contarmos com a ajuda poderosa do nosso Deus: Humilhai-vos na presença do Senhor, e ele vos exaltará” (Tiago4:10).


www.esbocandoideias.com
Presbítero André Sanchez 

Reações:

0 comentários:

Postar um comentário

Cadastre seu email e receba nossas novidades