quarta-feira, 2 de setembro de 2015

Ilustrações Cristãs: O gato que parece crente e o crente que parece gato


Ilustrações Cristãs: O gato que parece crente e o crente que parece gato


Certo dia um gato andava pela região onde havia uma igreja. Ele foi se achegando e avaliando se ali haveria um lugar para ele, pois estava sem um lugar seguro para passar a noite. Como a porta da igreja estava aberta e ninguém que lhe oferecia perigo estava por ali, o gato entrou calmamente. Deu uma volta pelo ambiente, olhou em todas as direções e ficou por ali, pois gostou muito do local, o local era tranquilo e lhe parecia muito bom para passar a noite.

Aos poucos as pessoas iam entrando na igreja e logo muitos faziam carinho no gato, davam comida a ele, conversavam com ele, brincavam com ele. Logo o gato ficou amigo de todos e estava presente todos os dias naquela igreja. Não tinha uma reunião em que o gato não estava.

O tempo passou e já fazia alguns meses que o gato estava ali naquela igreja. Ele não saia dali. Estava sempre presente.

Um dia, o pastor da igreja, observando o gato dia após dia, resolveu compartilhar sobre ele em um dos cultos da igreja.

– Quantos já viram aquele gatinho bonitinho que sempre está aqui em nossa igreja?
Quase todos levantaram as mãos, pois o gatinho era tão bonitinho que fazia muito sucesso por ali. O pastor, então, continuou:

– Vocês acham que esse gato é um gato crente?

A igreja toda estranhou a pergunta, mas ficou em silêncio enquanto o pastor seguia com o sermão.

– Pois é, irmãos, faz alguns meses que esse gato está vindo aqui na igreja. Ele está em todas as reuniões que fazemos. Observando-o, percebi que ele até parece um gato crente. Mas será que esse gato é um gato dedicado a Deus?

A igreja sem entender nada permanecia em silêncio. O pastor continuou:

– Vejamos se esse gato é crente, pois ele está todos os dias na igreja, não é verdade?!:

– O gato tem uma vida de oração? Não!

– O gato lê a Bíblia diariamente? Não!

– O gato evangeliza as pessoas? Não!

– O gato jejua ao Senhor? Não!

– O gato contribui para a obra de Deus? Não!

– O gato é um intercessor? Não!

A igreja, então, em silêncio aguardava a conclusão do pastor.

– Pois é, irmãos, muitas vezes somos como esse gato. Estamos na igreja, frequentamos, até parece que somos crentes por estar em lugares que crentes estão, mas, de verdade, como o gato, não somos crentes dedicados ao Senhor. Somos apenas como gatos que parecem crentes.


fonte: www.esbocandoideias.com
Presbítero André Sanchez

Reações:

0 comentários:

Postar um comentário

Cadastre seu email e receba nossas novidades