Últimas notícias

O balaio e a água























Um texto interessante para ser refletido, muitas vezes estamos preocupado 
em decorar, mas não em aplicarmos em nossasvidas os textos bíblicos
mas em um constante ler e aplicação a  nossa vida é transformada através 
do espirito santo.

Um garoto chegou ao Apostolo e perguntou:

- Por que devemos ler a Palavra de Deus? Se Jesus já é meu salvador 
por completo? Eu não guarda nada do que esta escrito, precisa isso?

O Apostolo não respondeu ao garoto. Ficou olhando para o horizonte por 
algum tempo e depois disse:

- Pegue aquele balaio, vá até o riacho, encha o balaio de água e traga até aqui.


O garoto olhou para o balaio e achou muito estranho o pedido do Apostolo, 
mas assim mesmo, obedeceu. Pegou o balaio, desceu  até o riacho, encheu 
o balaio de água e voltou.  Como o balaio era todo cheio de furos, 
a água foi escorrendo e quando chegou até o Apostolo já não restava nada.

Este perguntou:

- Então, meu filho, o que você aprendeu?                                            
O garoto olhou para o balaio vazio e disse, sarcasticamente:
- Aprendi que balaio de junco não segura água.
O Apostolo ordenou-lhe que repetisse o processo.

Quando o garoto voltou com o balaio vazio novamente, o Apostolo perguntou-lhe:
- Então, meu filho, e agora, o que você aprendeu?
O garoto novamente respondeu com sarcasmo:

- Que água não para em balaio furado.
O Apostolo, então, ordenou novamente que o garoto repetisse a tarefa.
Depois da décima vez, ele já estava desesperadamente cansado de tanto 
buscar água e voltar do riacho.

Porém, quando o Apostolo perguntou de novo:
- Então, meu filho, o que você aprendeu?

O garoto, olhando para dentro do balaio, percebeu admirado:
- O balaio está limpo! Apesar de sair toda a água, a repetição constante 
de encher o balaio acabou por lavá-lo e deixá-lo limpo.

O Apostolo, por fim, concluiu:
- Não importa que você esqueça a palavra de Deus, o que importa, 
na verdade, é que, no processo, a sua mente e a sua vida ficam limpas 
diante de Deus.

Nenhum comentário